domingo, 24 de agosto de 2014

Quem nunca sonhou em ganhar dinheiro fazendo o que gosta? Quantos leitores de mangás nunca tiveram o sonho de um dia poder ditar as regras e publicar oque quisesse? Existe alguém que conseguiu este feito, e o resultado deste sonho realizado por ele foi a NewPOP.
NewPOP Editora
"Lema da NewPOP Editora: Uma alternativa a todos"
A história da NewPOP começa com um sonho de um otaku brasileiro. Júnior Fonseca, colaborador da Editora Escala, Gerente da Comix Bok Shop, e o dono de um dos melhores sites para informações de anime e mangá, o AnimePró, começava um sonho de poder editar mangás para o Brasil, de forma legal, mas com o carinho que os fansubbers tratavam os leitores e fãs. Assim foi fundada a NewPOP Editora, em janeiro de 2007. Muitas especulações foram ditas pelo público: "- Um fã de mangá poderá dar conta de uma editora de mangás no Brasil?; - Como ficaria a qualidade das obras?; Como seria a concorrência com as editoras de peso na época?". Todas as perguntas já foram bem respondidas hoje em dia, mas a história disso tudo você confere agora, na cronologia que o Leitura Oriental preparou:

mangá 1945
"1945 - O primeiro título e também o primeiro grande sucesso da editora"
2007 - Que a Guerra por mercado comece!
A NewPOP então no mesmo mês de abertura lança 1945, um shoujo em volume único de Keiko Ichiguchi. A qualidade do mangá é logo destacada de todas as outras editoras, por uma linda capa em vermelho espelhado com orelhas, como um livro de bolso. Apesar do título ser desconhecido, foi bem aceito. No mesmo ano em parceria com a Lumus Editora, chegava as bancas também Tarot Café, um mangá coreano.

2008 - Uma alternativa ao próprio dono
A NewPOP ultrapassa todas as barreiras do que pode chamar de sonho, quando lança em janeiro de 2008 o título Grimms Mangá, um pedido pessoal do dono da editora. Isso provou escancaradamente que a empresa realmente levaria em conta essa ligação "leitor-editor". No mesmo ano vieram Dark MetrôArk AngelsDoors of Chaos para aumentar o catálogo.

"Segundo o próprio Júnior Fonseca, o título Vampire Kisses teve que ser reimpresso"
2009 - Um litro em vendas. Vampiros e corredores chegando.
Se existe um ano marcante para a editora, com certeza foi este. 2009 nem começava e a NewPOP lançava o mangá em 3 volumes de Vampire Kisses - Laços de Sangue. Rapidamente o título se esgotou. Em julho chegava as livrarias (algo raro na época) o box com os dois volumes de Speed Racer. Apesar de logo depois, El Alamein e Outras Batalhas não vender o esperado, a sorte sopraria novamente a porta da editora com o sucesso 1 Litro de Lágrimas e Kanpai! Com 2009 sendo um ótimo ano em vendas, já era concretizado que Júnior Fonseca realizou seu sonho, e a editora NewPOP ganhou credibilidade e carinho do consumidor, pela qualidade gritante das edições que publicavam.

2010 - Nós temos o Tezuka
Enquanto as editoras concorrentes se batiam e brigavam em círculos com a infinita roda Shounen-Shoujo-Seinen, a NewPOP investia cada vez mais em qualidade e diversidade. Trouxe o Josei, até então gênero inédito no Brasil, Shinshoku KissAlice no País das MaravilhasMetrópolisGod Save The QueenDororoHetalia Axis Powers chegavam ao catálogo da Editora. Eram muitos títulos, para muitos públicos diferentes. Em outubro e dezembro o time editorial de Júnior Fonseca trazia para o Brasil outro marco até então inédito por aqui, os Light Novels.

Blood Honey
"Blood Honey - sucesso yaoi da editora"
2011 - Yaoi, Josei... e guitarras
Apenas 3 títulos foram impressos este ano, mas que marcaram mais ainda a identidade da empresa. Em maio foi o yaoi Blood Honey, em junho o josei Amar e ser Amado. Em julho, após grandes negociações com o Japão, o título que era sucesso pelo seu anime, exibido em 2009 intitulado K-ON chegava ás bancas brasileiras. Ao final do ano a editora fecha contratos com o melhor time de mangakas do Japão, o famoso grupo Clamp.

2012 - Simplesmente Clamp
Quatro títulos são lançados este ano. Após as boas negociações que ocorreram no final do ano passado, não somente a JBC teria títulos "Clamp's", e em outubro após quase um ano de persistência, junto com Red Garden, o volume único de A Pessoa Amada chegaria ao Brasil. O belo traço do grupo Clamp unido á qualidade das páginas da NewPOP rendeu boas críticas, dentro e fora do País. No site oficial do grupo no Japão o licenciamento e publicação do título foram comentados pela própria publicitária das mangakas. Apesar da editora ter conquistado um público estável, por cautela de mercado optava por publicar obras com 4 volumes no máximo. Isso foi no fato algo positivo, já que o catálogo ficava recheado de bons títulos.

Street Fighter Alpha
"Street Fighter Alpha foi elogiado também por fãs de HQ e games"
2013 - Glória e ostentação á vista
Dez títulos se fixaram este ano. Dentre eles, três eram do Grupo Clamp, três eram do mestre do mangá Osamu Tezuka. Mas mesmo com estes dois nomes de peso, o destaque foi para Puella Magi Madoka Magica, publicado em Julho e inaugurando a saga de Madokas nas bancas do Brasil. K-ON Faculdade também chegou em novembro. Os títulos da NewPOP simplesmente desapareciam das prateleiras rapidamente, e oque era bom ficou ainda melhor. Sem nenhuma cerimônia, em dezembro chega o volume 1 do mangá Street Fighter Alpha. Este último recebeu grandes críticas positivas, não só pelos sites de anime e mangá, mas também pelos vlogs e blogs sobre quadrinhos, games e mundo geek.

2014 - Chegando séries maiores
Até hoje, agosto de 2014 foram publicados 8 títulos. Dentre eles, a editora resolveu mostrar finalmente sua cara perante séries maiores, como Loveless com 11 volumes atualmente, e o polêmico Usagi Drop concluído com 10 volumes. Ainda foram anunciados mais sete títulos que estarão sendo publicados até o primeiro semestre de 2015.

A editora NewPOP este ano demonstra uma tranquilidade enorme quando o assunto é lançamento, e por ter arriscado duas obras acima de 5 volumes, mostra que quer concorrer com as empresas maiores, com as editoras de grande porte que publicam seus títulos por anos com público fiel e mensal. Júnior Fonseca e a equipe da NewPOP mostrou durante esses oito anos que títulos alternativos, que ganham fãs apenas em sites de tradução de scans, podem sim ter uma boa venda em bancas e livrarias, desde que sejam tratados como o leitor gosta. Afinal, quando um fã de mangás assume o controle de seu próprio hobbie, sonhos se tornam realidade.

Espero que tenham gostado de mais esta matéria especial sobre as editoras brasileiras de mangás!


Não deixe de ler nossos outros artigos sobre as editoras:
Editora Panini - A Shonen Jump Brasileira!
Editora Conrad - Um caso de amor e ódio
Editora JBC - O carro chefe do Shoujo no Brasil


Fontes:
http://www.jbox.com.br/entrevistas/junior-fonseca/
http://newpop-editora.com.br/?page_id=130
http://pt.wikipedia.org/wiki/NewPOP_Editora
http://clamp-net.com/blog



Renato Urameshi Renato Urameshi 
Escreve sobre anime e mangá desde os tempos de clube por cartas. Leitor nostálgico da Animax e derivadas, gosta de discutir assuntos polêmicos e de fundo jornalistico | Google +

2 comentários:

  1. tenho o k-on completo, a neopop tem o papel melhor que todas as outras editoras

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário sobre a leitura acima! Críticas educadas serão bem vindas!

Que bom que você veio! Obrigado pela visita!
Textos Originais. Leitura Inteligente.
Leitura Oriental (2014) Fan-site sem fins lucrativos.
Que cria conteúdo para fãs, ou apenas reproduz oque está na internet mundial. Links de sites de terceiro não são considerados reproduções nossas, e são de inteira responsabilidade do site que o link acessa.

Links Externos